Projeto Terra de Lund - A nossa pré-história como você nunca viu.

Jornalista ilustrador Paulo Baraky Werner cria o projeto “Terra de Lund”, que aproxima o público infantil da rica pré-história de Minas Gerais, e das importantes
descobertas científicas de Peter Lund.

Imagine o Brasil há 11 mil anos atrás? Uma terra dominada pela megafauna, grandes animais que conviveram com os seres humanos. Como a Preguiça gigante que podia chegar a cinco toneladas, Toxodontes, Gliptodontes (um tatu que era quase do tamanho de um fusca).
Tigres-dentes-de-sabre e Mastodontes. E além dos grandes animais, havia seres humanos, nossos primeiros habitantes. Que séculos depois seriam descobertos.

Em 1843 Peter W. Lund, naturalista dinamarquês encontrou na região de Lagoa Santa, MG vestígios de homens pré-históricos, cujos estudos definiram as características daquele que ficaria conhecido posteriormente como o Homem de Lagoa Santa. Esta cidade, aliás, foi adotada como base de operações por Lund por ser o centro de uma área repleta de cavernas. Pesquisando mais de 250 na região.

E foi diante de todo este cenário, de riqueza e fascínio pelas cavernas, homens pré-históricos e grandes animais, que em 2008 o jornalista ilustrador Paulo Baraky Werner criou a “Terra de Lund”. Voltado principalmente para o público infantil, a saga de Gronk e sua esposa Luzia (nome em alusão ao fóssil de 11 mil anos encontrado na caverna da Lapa Vermelha em Lagoa Santa. 

Paulo_Baraky_Werner_Peiropolis_MG.jpg
LIVRO_REF_01.jpg

Considerado o mais antigo das Américas), Tiak, Droak, Bunk e toda a turma é contada em formato de tirinhas e agora em livro. Têm como objetivo levar às crianças noções de história, cidadania e conscientizá-las sobre a importância de preservar o meio ambiente. Mas tudo com uma boa dose de humor e informações sobre o período pleistoceno.

Para criar o mundo de Lund e seus personagens, o autor realizou um aprofundado estudo na região de Lagoa Santa e Pedro Leopoldo. Visitando sítios arqueológicos, museus e dezenas de cavernas. Segundo o ilustrador, os mais de 20 anos de pesquisas foram para "realizar um trabalho de fantasia, mas focado em dados reais e pesquisas do ponto de vista da arqueologia e paleontologia. Lembrando de que este projeto é único no Brasil."

Mas o projeto “Terra de Lund” não pretende ser apenas tirinhas em jornais. O autor pretende levar para as escolas e museus as aventuras de seus personagens. O primeiro livro da turma acaba de ficar pronto. “Terra de Lund – A pedra do espaço”. E fica o convite para as empresas que queiram patrocinar e financiar a distribuição do livro.


“O brasileiro em geral costuma dar importância somente aquilo que vem de fora. Nós possuímos uma rica pré-história. Repleta de mistérios e grandes descobertas. Chegou a hora de valorizar o que é nosso”.


“A Pré-História é uma riqueza. É um item da cultura que nós não valorizamos. As crianças se interessam muito pela Pré-História e é uma oportunidade de educar e divertir. Tudo o que nós conhecemos hoje, a paisagem, a vida, a fauna e a flora foram construídas na Pré-História. Se envolver com ela, conhecê-la é uma forma de respeitar o mundo atual. É uma forma que nos educa a entender que este mundo, as riquezas que temos hoje na fauna, na flora e na geografia, não é uma coisa nova, vem sendo construída ao longo de milhões de anos”, destaca o professor do Instituto de Geociências da USP, Luiz Eduardo Anelli.   ​​

faixa_tribal.gif
PERSONAGENS_TERRA_DE_LUND.jpg